segunda-feira, 22 de abril de 2013

Amigo ou comparsa?


Ficar sozinho é complicado demais para qualquer pessoa. Afinal, precisamos ter amigos. Digo amigos de verdade, pessoas que querem o nosso bem e que não se importam em serem vistos como chatos por nos tornar conhecedores dos erros que cometemos. Não é isso o que um amigo deve fazer? É sim, pow... Dificilmente buscamos essas pessoas, e quando buscamos, algumas vezes, não as encontramos. Por que será? Por que não encontramos? Escuta essa aí: 

Eles estão em extinção! 

Não percebemos isso, pois substituímos elas por outro tipo de companhia. É, pow. Colocamos no lugar deles pessoas que cometem os mesmos erros que a gente, pessoas que não estão preocupadas com outras a não ser elas mesmas. Ah, e nos tornamos gente assim também, viu?. Hoje, a relação entre estas não se assemelha com a amizade nem um pouco. Nem um pouquinho. Nem um pouquinhozinho. Sério, não são amigos, mas comparsas. Forte, não? 

Agora, questione-se aí: 

Por que muitas vezes dou mais valor ao discurso do meu “amigo” do que o dos pais? 

Pense aí...
E aí, foi?
Ainda não?
Tranquilo, eu espero mais um pouco.

Então...Penso que isso acontece pelo fato de que o mesmo expressa o que queremos ouvir. Ele nos permite nos permitir. E quer saber? Em uma sociedade onde a frase que reina nos corações é “vamos nos permitir”, esse cara é uma "ótima" companhia.

Continua...

Vivo, logo luto.

Luto contra a minha vontade, contra os meus desejos, contra o me permitir, contra valores invertidos que tornaram-se certos pelo “todo mundo faz”, contra a fraqueza, contra a ausência de motivações corretas, contra o sono, contra a balança, contra o estereótipo do cara perfeito que dentro de padrões questionáveis querem que eu seja, contra a baixa auto-estima, contra o consumismo, contra a vaidade, o egoísmo, a inveja, o ciúme, o desequilíbrio, a hipocrisia, a inconstância, a falta de paciência, contra ensinamentos equivocados que foram inseridos na minha mente e na de outros a vida inteira, contra o conformismo, contra a alegria exagerada que não me permite ver o quanto é necessário mudar, contra a tristeza que quer me fazer parar, contra o medo, contra os oba-obas, contra paixões que não me levarão a lugar nenhum, enfim, vivo, logo luto.

Ídolos.

Eles estão presente demais na vida de muitos. Acredito eu que por aparentemente serem o que não somos, por viverem algo que não vivemos, possuírem qualidades que não possuímos, por representarem algo que achamos importante apresentando pensamentos que se encaixam com o que queremos ouvir, e por diversos outros fatores, a presença de ídolos na sociedade na qual estamos inseridos está a cada dia mais comum.

Então...
Por mais que pareça que sim, o fato deles serem alguma coisa que não somos não torna-os pessoas melhores ou mais agraciadas por Deus do que nós. Talvez a pressão exercida sobre cada um de nós no que diz respeito a como deveríamos ser em qualquer aspecto leve-nos a acreditar que aquela pessoa, por corresponder a todas as expectativas da sociedade, vive uma vida infinitamente melhor do que a nossa. Aí entramos em uma questão muito interessante que responderei com a seguinte frase:

NEM TUDO QUE PARECE É, MEU AMIGO!

Aparentemente, neste caso, o individuo cria um grau de proximidade e cumplicidade com o ídolo, mesmo sem conhecê-lo e sem ser conhecido por ele, forte demais. Enxergamos isso quando o fã compra a briga do seu ídolo, alegra-se com a sua alegria, chora com a sua tristeza, e demonstra um carinho pelo mesmo até maior do que possui por quem está a sua volta.

Então...
Seja o cantar melhor, o dançar melhor, o falar melhor, ou qualquer outra coisa que ele possa fazer melhor que cada um de nós, nada disso diminui o nosso valor, e muito menos diz que não possuímos qualidade alguma. Dentro do que eu acredito e aprendi, o que traz valor ao que fazemos é o que há em nossos corações ao fazer o que fazemos. É isso que dirá se há qualidade ou não em qualquer coisa que fizermos em nossas vidas.

Então...
Por justificarem nossos pensamentos e ações, legitimando a nossa forma de viver e pensar, alguns são ídolos inquestionáveis. Eles são inquestionáveis, pois se colocarmos na berlinda o proceder e pensar dos mesmos, estaremos colocando-nos nesta posição. 



Então...
Rever o nosso proceder é necessário demais. Pense nisso!

Estou seguindo Ele.

Sigo a Jesus. Busco, mesmo que falhando muitas vezes, fazer a sua vontade e cumprir o seu querer. A minha proximidade de Deus não depende de estar ou não em um lugar, pois a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão ao em espírito e em verdade, a todo momento e em todos os lugares. Se eu me esvaziar de mim e buscá-lo de todo coração, o encontrarei. Preciso amá-lo em primeiro lugar, e a quem me cerca como a mim a mesmo. Ele não me aliena dos problemas e das desigualdades à minha volta, não me torna uma pessoa pior, e muito menos gente menos gente. Tenho a noção de que se não fosse a sua misericórdia, o seu perdão, e o seu amor, eu não estaria vivo. Eu poderia até tentar viver indiferente a Ele, porém seria idiotice demais da minha parte tentar viver sem aquele que é a vida. Ninguém me perguntou nada, mas não custa dizer:
Só em Deus a vida faz sentido.

É preciso saber viver.

Não sei se isso é especifico do tempo no qual vivemos, mas, nós (seres humanos) temos andado tão mergulhados em questões de pequena importância. Perdemos o sono, o apetite, ficamos com raiva, xingamos, murmuramos, e depois de sentir isso tudo, já nem sabemos o que nos levou a ficar do jeito que ficamos. Não que em algumas dessas situações não tenhamos razões para ficarmos chateados, porém ficar não resolverá nada. Parece-me que precisamos criar uma novelinha em nossas vidas para que ela tenha graça. Mas pense comigo: A vida já não é complicada demais para que a compliquemos mais? Ela é, e você sabe disso.

A frase daquela música muito conhecida cabe bem demais a este assunto, afinal:

"É PRECISO SABER VIVER!" 

E quer saber? Infelizmente, muita gente não sabe viver, e muito menos o que é viver.
Mesmo sendo suscetível ao erro, pois não sou perfeito, agora, como diria a canção "viver é crer" do Cantor Thiago Grulha:

"Agora sei o que é viver.  Agora sei o que é viver.  Viver é crer.  É aprender a andar com Deus." 
A música da qual estou falando:


É isso aí, aprendemos a viver e o que é viver ao aprender a andar com Deus.

Daí surge a questão:

QUEM ESTÁ DISPOSTO A TAL APRENDIZADO?

Se a felicidade...

Se a felicidade está ligada ao uso de alguma substância química que me faça "viajar", eu não sou feliz. 
Se a felicidade está ligada à sair pegando geral por aí, tomei um toco dela.
Se a felicidade está ligada à rir o tempo todo, acho que ninguém é feliz.
Se a felicidade está ligada à busca pelo prazer, em qualquer aspecto, indiferente ao mundo à minha volta, estou muito longe de encontrá-la 
Se a felicidade está ligada à busca por estar dentro de todos os estereótipos ditados pela sociedade na qual vivo, não a tenho buscado.
Se a felicidade leva pessoas à mascararem o que sentem, nunca quero ser feliz.

Por Ele justificado.

Nunca quero parecer ser mais justo do que sou. Sou um pobre pecador, um jovem como todos os outros, com desejos, sonhos e vontades. Só que:
Quando estou errado, estou errado. Quando estou certo, ainda estou errado, pois nunca serei correto a ponto de me justificar. Quando busco viver para fazer a vontade daquele que nunca errou, por Ele sou justificado.

A morte do chorão

      Quando era mais novo, ouvia direto Charlie Brown Jr. Ouvia, pois suas letras iam de encontro ao que eu vivia na época. Falavam sobre amor entre pessoas de classes econômicas diferentes, sobre politica (com agressividade), e também sobre curtição. No meu pequeno conhecimento de mundo, achava que aquele homem (o Chorão) tinha as respostas para as questões da vida. Mas, como diria o mesmo: 


"Um dia a gente cresce, conhece nossa essência e ganha experiência, aprende o que é raiz, então cria consciência."
      E quando isso começou a acontecer, percebi que aquele homem no qual eu depositava a minha fé, por mais que tivesse uma baita inclinação ao bem e à contestação, não possuía as tais respostas. E mais, ele também precisava das mesmas. Precisava demais!

Parece-me, que ao ver que não poderia mudar tudo aquilo de ruim que acontecia, chegou à essas conclusões:
"O que importa é se sentir bem. O que importa é fazer bem." 

      A segunda afirmativa é fantástica, pois é muito prazeroso fazer o bem à alguém. Fazendo o bem começamos a fazer a diferença, pois a mudança que queremos deve começar em nós.

      Já sobre a primeira, não tenho a mesma opinião. Por quê? Nem tudo o que me faz me sentir bem me faz verdadeiramente bem. E é aí, que, segundo a minha forma de pensar, ele, outros ídolos com mentes geniais, e seus fãs se perderam ou se perdem. Se perdem, porque nem tudo o que nos dá prazer, em qualquer aspecto, vai trazer sentido ao nosso viver. O que um dia me leva a esquecer os problemas pode virar um problema maior ainda. O que nos satisfaz agora, algumas vezes, pode nos levar à dependência disto, e a consequente alienação em diversos assuntos da vida.
Estou longe de ser perfeito, mas não quero que nada que, aparentemente, me faça bem agora tire a minha vida e leve-me à simples existência.


ELE FOI BRILHANTE, MAS NÃO TINHA AS RESPOSTAS!

NÃO ESQUEÇAMOS DISSO!

Ela não tem a ver com estar por estar e fazer por fazer

A igreja não se limita a um lugar no qual vou ou a coisas que faço neste. É, ela não pode ser contida em um edifício ou em atos padronizados realizados no mesmo. Por que não? Porque ela é o que sou. Sim, o que sou. É o que sou em todo e qualquer momento. Legal, né? Ah, mas é bom deixar claro que o faço não leva-me a sê-la, e sim o contrário, o que sou move-me a procurar fazer o que deve ser feito. 

Obs: Isso tudo não tem nada a ver com filosofia de vida, ok? É vida. Só vida.

A hora vem, e agora é...

Pensamentos para viver bem em cada hoje de nossas vidas.

Não é pecado ter uma vida boa. Pecado é achar que você pode tê-la sem Deus.


Aparentemente, uma das suas maiores lutas é contra você mesmo.


Não se entristeça pelas situações que a sua mente cria.


Seja correto e torça para que o seu próximo também seja. Se ele não for, continue sendo.


Nem tudo que parece é. E quer saber? Às vezes, nem parecer parece, é só coisa da sua cabeça.


Aprenda a confiar.


Mudar dói, mas é necessário.


Ele te ajuda, mas não escolhe por você.


Não se preocupe em parecer, seja. Afinal, a opinião mais importante dessa vida vem de alguém que sonda o coração.


Até em silêncio Ele fala. Ele sempre fala. Só nos falta a percepção para entender o que.



TENHAM UM ÓTIMO DIA.