segunda-feira, 14 de setembro de 2015

LÁ NO EGITO

Quando nos encontramos onde não queremos estar, consequentemente, imaginamos como seria maravilhoso ir para um lugar melhor. Este pode ser um lugar de verdade, ou até algo ligado aos nossos sonhos e sentimentos, ok?
Aí, um dia, pelo cansaço que adquirimos, ou pelo simples fato de não nos conformarmos com a condição na qual nos encontramos, tomamos coragem e rompemos com aquilo que nos faz mal, e enfim conseguimos sair da, curiosamente, desconfortável zona de conforto.
Só que...
Se o lugar que almejamos chegar realmente vale a pena, não chegaremos nele com facilidade, muito menos de uma hora para a outra. A verdade é que o caminho será complicado para muitos de nós. E é aí, quando a dor e as demais dificuldades chegam, que achamos que talvez não tenha sido uma boa ideia sair de onde saímos. Consequentemente, surge o "Será que vale a pena passar por isso?" e o "As coisas eram melhores onde eu estava". Então brota o "Por que continuar? Afinal, o lugar no qual eu queria chegar não existe, e, se existe, eu não sou capaz de chegar lá". Neste momento, a dor danificou a nossa capacidade de diagnosticar as circunstâncias. Ver além do que sentimos no presente torna-se quase impossível. Quase, ok? Por isso, por ser só quase, podemos acreditar que aquele ditado no qual fazemos uma limonada após ganharmos um limão da vida, tem muito a ver com a postura que devemos assumir quando a linha de chegada parece distante.
Ah...
A maioria das lições que existem nesse texto tem origem no que Deus revelou ao Pastor da minha atual igreja. Ah, e a próxima não é diferente.
Certa vez, pregando sobre a galeria dos heróis da fé, ele nos disse que, se a dor é inevitável, devemos tirar força da fraqueza que ela causa em nós. Estando onde estávamos, ou onde nos encontramos agora, a aflição inevitavelmente é uma constante. Só que para aqueles que negam a si mesmos, não se conformam com este mundo, e com a possibilidade de serem deformados por ele, apesar da aflição, há uma paz que foge de tudo que conseguimos compreender. Acredite ou não, ela nos leva ao melhor lugar de todos ainda que nos encontremos no pior deles aqui na terra.
Encerrando...
Que com a força daquEle que nos concede essa paz, suportemos qualquer dor e cansaço, e caminhemos durante o tempo que for preciso acreditando que chegaremos num lugar melhor.

Belê?

Nenhum comentário:

Postar um comentário