sexta-feira, 15 de julho de 2016

A BÊNÇÃO DE SER UM FRACASSADO

Se você espera vitimismo e o "mi mi mi" do "eu sou um coitado", me faça um favor, se faça um favor, nos faça um favor:

NÃO LEIA!

Tenho a séria impressão de que a vida desanda  quando tudo dá "certo".

Oi?

Estranho, né?

Tal ideia é compreendida quando lembramos do que Jesus nos ensinou quando disse:

"...quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim, esse a salvará." (Lucas 9:24)

Não digo que não seja trabalhoso e penoso vencer na vida. De maneira alguma direi. A dedicação e o esforço de quem consegue mirar um alvo e chega lá  são coisas extraordinárias demais. Porém, achar que tudo isso, seja o que for, é tudo o que verdadeiramente importa e traz sentido a vida é um triste engano. A pauta que o nosso tempo nos "sugere" e a lista de existências para sermos considerados gente digna não necessariamente exigem de nós que sejamos seres humanos humanos, mas, sim, gente útil, produtiva e consumista. E, nós, desde cedo, quando temos bons mentores, aprendemos que há um caminho a seguir, uma receita para nos tornarmos o prato bem-sucedido que seja resposta as demandas desta vida. Diante disso, sei que o que vou dizer é bem clichê, mas, que se lasque. Vou dizer novamente:

"Existir bem, usufruir de privilégios, se dar aos prazeres desta vida, por si só, não traz vida a ninguém."

Como diria o Woody em Toy Story:

"Cair com estilo não é voar."

A nossa consciência nem sempre ouve a gritaria que ecoa nos nossos ouvidos todos os dias, mas, insconcientemente, está bem estruturado na nossa mente o modelo de vida que nos é aparentemente sugerido, mas, de verdade, sutilmente, nos é imposto.

Você sabe que é verdade. O "se preserve", o "busque o que é bom e vantajoso para você", e o "tudo o que você tiver vontade de fazer é legítimo", por que, instintivamente, queremos, não nos causam estranheza alguma.

O bom é que, quando fracassamos ou nos decepcionamos com as promessas que nos foram feitas, temos uma baita oportunidade de ver a vida como ela é. E, quer saber? Livres do fetiche que nos escravizou, frustrados e feridos, já não há mais glamour que nos faça fantasiar a realidade.

Agora, temos um problema quando nos acovardamos diante do desafio que este cenário propõe. Qual é a proposta? Ser homem ou mulher o suficiente para não se conformar com o que não traz saciedade, e, sim, engano e alienação. A inquietação destes, dos que não estão satisfeitos, os levará a construir e experimentar, ainda nesta vida, o melhor lugar do mundo. Estes entenderam que não engolir a vida mais fácil, a que te leva, é viver bem.

Se o fracasso é o que vai abrir os nossos olhos, desejo que todos nós sejamos bem-sucedidos na jornada que nos levará a ele.

Bom "fracasso" pra todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário